Publicado por: jromarq | 29/12/2009

Com os olhos bem abertos!

As obstinadas investidas da mídia golpista contra a pré–candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, têm sido, até aqui, brutais e perturbadoras. Recorreram aos mais sórdidos estratagemas, às mais toscas bazófias, às mais pérfidas esparrelas. Deram o “golpe da secretária”, tentando transformar a ilustre e sombria desconhecida, Lina Vieira, ex-secretária da Receita Federal, na musa do picadeiro da CCJ montado, exclusivamente, com o propósito de comprometer a imagem da ministra Dilma (como ficaria, aliás, cabalmente demonstrado, pouco tempo depois, com o total esquecimento do caso). Malogrado o golpe da secretária, partiram, então, para o conto da CPI da Petrobrás – sem fundamento, sem provas ou indícios irrefutáveis de irregularidades, sem argumentos sérios ou relevantes; apenas o espetáculo dantesco da mais rasteira politicagem. Diante do fiasco da malfadada CPI, vieram com o golpe do apagão – assumindo a mais deplorável vilania, tentaram transformar o blecaute, comprovadamente, provocado por condições meteorológicas adversas em três linhas localizadas entre os estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais (todas abastecidas por Furnas), em tragédia nacional; o holocausto tupiniquim. Entretanto, ao que tudo indica, as manobras odiosas do golpismo midiático não vêm surtindo o efeito desejado: a derrocada da pré–candidatura de Dilma Rousseff. A pesquisa publicada pelo Datafolha, no dia 20 de dezembro, confirma de maneira incontestável essa tese (vejam abaixo). 

Porém, ao leitor mais atento, alguns aspectos inquietantes relacionados ao conteúdo e, particularmente, aos “métodos” empregados pelo grupo Folha no processo de divulgação de tais pesquisas convidam à reflexão. Nos números observados acima, fica bastante clara a sólida ascensão de Dilma Rousseff, consolidando–se na segunda colocação com 23% das intenções de voto. Ao lado de mais um recorde nos índices de aprovação do governo e do presidente Lula, a segunda posição da Ministra é, sem dúvida alguma, o fato mais relevante da pesquisa. Contudo, vejam a chamada publicada na página inicial do site UOL na área dos destaques do portal: “Se a eleição fosse agora, tanto Alckmin quanto Serra poderiam vencer no 1º turno”.  Ora, afinal o que significa isso? Os mais incautos, ao lerem a chamada espúria, poderiam supor que Alckmin e Serra são os dois principais candidatos à presidência em 2010 (ambos do PSDB!) com vitória fácil garantida e no primeiro turno – na verdade, tratam–se das hipotéticas candidaturas de Serra e Alckmin ao governo de São Paulo consideradas pelo Datafolha. E mais, vejam o título da reportagem: “Serra vence Dilma e Ciro no segundo turno, diz Datafolha”. Novamente o fato mais relevante da pesquisa, a ascensão firme de Dilma Rousseff (conquista de sete pontos percentuais em relação à pesquisa anterior de agosto), é desconsiderado. Além disso, outras constatações extremamente importantes sequer são aventadas. Serra iniciou a série de pesquisas do Datafolha com números que oscilavam entre 40% e 48% e, agora, despencou para 37% (queda gradual e constante). Por outro lado, Dilma iniciou a mesma série com pouco mais de 10% das intenções de voto e, agora, subiu aos notáveis 23% (ascensão, da mesma forma, gradual e constante). Comparem, por exemplo, com o resultado da pesquisa do mesmo instituto relativa ao mês de agosto, logo abaixo

www1.folha.uol.com.br

Lamentavelmente as maquinações não param por aí. Os números vistos acima representam o resultado efetivo da pesquisa Datafolha divulgada no dia 16 de agosto de 2009. Até aqui, nada de errado. Todavia, comparem e observem a discrepância com estes outros números. 

Os números vistos acima, pasmem, constituem, de fato, uma alusão à pesquisa de agosto, feita na mesma matéria sobre a pesquisa de 20 de dezembro, “Na última pesquisa do Datafolha realizada em agosto, Serra liderava com 36%, Dilma tinha 17%, Ciro estava com 14% e Marina com 3%. Na ocasião, a pesquisa mostrava a ex-senadora Heloisa Helena (PSOL-AL) com 12%, mas ela desistiu de concorrer à Presidência para disputar o Senado” –  http://bit.ly/5qooAh.  No primeiro gráfico, Serra tem 37% e no segundo (mesmo mês, mesma pesquisa!) tem 36% ; já Dilma tem 16% no primeiro e 17% no segundo gráfico. Por que a discrepância? Quem sabe, esconder o fato de que Serra caiu e estacionou perigosamente; ou, talvez, escamotear o fato de que a subida de Dilma foi ainda maior. Quem sabe?! Sempre poderão alegar que foi “erro de edição da página”.  Para completar, reparem este último gráfico. 

Trata–se do resultado de outra pesquisa, divulgada pelo Band/Vox Pupuli, referente, também, ao mês de agosto de 2009. Notem que a ausência da senadora Marina Silva nesse levantamento não fez muita diferença. Portanto, analisando as divergências existentes entre os números das duas pesquisas – realizadas no mesmo período, com o mesmo público e, seguramente, sob as influências das mesmas variáveis (quadro político, conjuntura econômica, popularidade do presidente Lula, escândalos no congresso, etc.) – podemos chegar a duas conclusões: ou o Band/Vox Populi está coberto de razão, ou o Datafolha totalmente equivocado. Desse modo, precisamos ficar com “olhos muito bem abertos“.  A grande verdade é que “Pesquisa é bom, mas também é ruim”. Faz sentido… Ou não!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: